Pesquise no blog Rethalhos Culturais

22 dezembro 2010

CUIDADOS PARA CONSERVAÇÃO DE OBRAS DE ARTE E ANTIGUIDADES

1. OLHAR - Observando detalhadamente cada objeto da coleção fica mais fácil o diagnóstico e prevenção das principais causas de deterioração nas coleções. Manchas de tons ocre e castanho avermelhado e craquelê (microfissuras) não são sintomas de envelhecimento mas de doenças muito mais fáceis de tratar quando na fase inicial. Portanto, olhar um quadro ou uma escultura também na sua estrutura física, observando alterações de cores, presença de microorganismos (fungos) e insetos.

2. DOCUMENTAR - Todas as peças devem ser identificadas com discretas etiquetas que possibilitem o acesso ao histórico da peça. Quanto maior o número de informações sobre cada obra, melhor. As anotações, se não forem ínformatizadas, devem ser guardadas em envelopes ou pastas, em local ventilado, seco e ao abrigo da luz. Na hora da compra, sempre que possível. Na hora da compra, se for possível, indagar sobre a técnica e materiais utilizados no quadro ou escultura.
Recado aos artistas: todas as obras deveriam ser acompanhadas de respectiva ficha técnica com informações precisas sobre os procedimentos e materiais utilizados na sua composição. Essas informações não servem apenas para facilitar o trabalho de restauração, são importantes para a preservação da obra.


3. FOTOGRAFAR - Registro fotográfico é extremamente útil em qualquer coleção. Auxilia em casos de roubos, falsificações, restaurações etc. Não apenas obras de artistas consagrados devem ser fotografadas, mas também peças variadas como jóias, prataria, tapeçaria, armas, relógios, cristais, porcelanas etc.


4. LIMPAR - Poeira não tem valor histórico nem artístico. Tudo deve ser higienizado: telas, papéis, molduras, madeiras, metais, pedras, cerâmicas, louças, prataria, cristais, vidros, jóias, plumária, cestaria, couros, peles, pergaminhos, leques, tapetes, tecidos em geral, franjas, bordados etc. A limpeza adequada não só melhora a aparência mas elimina ovos e larvas que multiplicarão insetos e substâncias nutritivas que atraem microorganismos (fungos). A limpeza inadequada pode comprometer a integridade da obra, pondo em risco a sua conservação. Para a limpeza de obras de arte e antiguidades recomenda-se:


4.1. Seguir as informações dos profissionais da área de conservação e restauração. Os museus possuem técnicos e condições de informar sobre isso.

4.2. Agir com bom senso;

4.3. Usar um pincel ou escova macia (escovinhas para cabelo de bebê ou pincéis para maquiagem, por exemplo) e impar com isso tudo que for possível;

4.4. Evitar panacéias caseiras. Se for seguida alguma receita, não substituir produtos que não forem encontrados no mercado. Cebolas, batatas, ovos e certos óleos só devem ser usados em culinária.

5. VENTILAR - Pinturas em suporte de papel (aquarelas, gravuras etc.) devem conservar distância entre o vidro e moldura; quadros em geral devem estar isolados da parede por pequenos pedaços de cortiça ou etiquetas de feltro. Papéis colados no dorso dos quadros podem ser substituídos por filtros de tecido ou papel desacidificado e devem ser removidos periodicamente para limpeza. Documentos e tecidos antigos (vestuário, roupas de cama, mesa e banho) tapeçaria, bandeiras, chapéus, tudo deve ser limpo e arejado periodicamente.

6. ARMAZENAR - Papéis devem ser protegidos da luz, calor e umidade; grampos e alfinetes devem ser evitados porque marcam e enferrujam; manipulação cuidadosa é fundamental para evitar rasgões e rugas;

6.1. TECIDOS - cabides, alfinetes e adesivos agridem e mancham tecidos antigos; devem ser resguardados da luz, em posição horizontal, evitando dobras e fricção; mesmo uma agulha fina pode ser um agente de agressão em tecido envelhecido, contribuindo para maiores perdas. Em algumas ocasiões, o calor do ferro elétrico pode ser mais prejudicial que a água.. Com cuidados especiais, tecidos antigos podem e devem ser lavados, mas atenção também ao processo de secagem: deve ser gradual e muito lento; se possível, evitar a utilização do ferro de passar;

6.2. PELES E COUROS - evitar a conjugação do calor e umidade excessivos;

6.3. PINTURAS - sobre telas e madeiras devem ser resguardadas de iluminação direta (natural ou artificial); o foco de luz adequada, recomendado por especialista, pode ser usado, mas só em ocasiões especiais, permanecendo desligado a maior parte do tempo; as paredes internas e longe de correntes de ar, são as mais adequadas para quadros; manter distância de lareiras;

6.4. PAPÉIS - ao guardar papéis, se desejar corrigir dobras, coloque temporariamente o papel em lugar fechado (pode ser uma gaveta), ao lado de um pote com água; a seguir aplaine o papel umedecido entre duas folhas de papel absorvente tipo mata borrão.


Rethalhado do site: http://www.leilasudbrack.com.br - Atelier Leila Sudbrack

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...